Exame de polipectomia

Polipectomia: entenda o que é

A polipectomia, realizada durante o exame de endoscopia alta (endoscopia) ou baixa (colonoscopia), pode ser gástrica ou de cólon. Os pólipos são aglomerados de células que crescem em uma mucosa e podem ser planos ou elevados, de caráter benigno ou maligno. Pólipos podem ter origem em diversos locais do organismo, mas, neste artigo, vamos comentar dos pólipos gástricos e de cólon. 

Os gástricos são os que se formam no aparelho digestivo proximal, os quais são considerados mais raros. Já os de cólon se formam no aparelho intestinal e são mais comuns. A maioria dos pólipos é de ocorrência benigna, mas a sua retirada é importante para evitar algumas patologias futuras. 

A sua retirada se dá através da polipectomia. Para saber mais sobre o assunto, continue a leitura. 

O que é a polipectomia? 

A polipectomia gástrica ou de cólon tem como objetivo a retirada de pólipos benignos ou malignos do aparelho digestivo, através da endoscopia digestiva.

Os pólipos, em sua maioria, são benignos, mas a indicação da comunidade médica sempre é de remoção para evitar que, com o tempo, eles se desenvolvam e se tornem cancerosos, como o câncer colorretal, patologias grave e que geralmente apresenta sintomatologia somente em seus estágios mais avançados. 

Como é realizada a polipectomia?

A remoção dos pólipos através da polipectomia ocorre durante o procedimentos de endoscopia digestiva alta ou colonoscopia. Tais procedimentos consistem na inserção do endoscópio, um aparelho médico tubular com uma câmera em uma de suas extremidades, onde são acoplados diversos laços metálicos que estão ligados a um aparelho de eletrocoagulação.

Dessa forma, ao inserir o tubo do endoscópio  ou colonoscópio e alcançar o local de retirada dos pólipos, os laços já cauterizam o tecido e fazem a remoção do pólipo. As peças utilizadas para laçar são todas descartáveis e estéreis, e o processo é totalmente indolor ao paciente. 

O processo requer uma preparação específica que você pode conhecer mais a fundo no site do Núcleo de Endoscopia Digestiva

O que causa a formação de pólipos?

Os pólipos podem se formar em qualquer pessoa e nos mais variados locais do organismo. Porém, no trato gastrointestinal, existem algumas coisas que podem predispor a sua ocorrência, como: 

  • Obesidade ou o excesso de peso, 
  • Diabetes do tipo II não controlada corretamente, 
  • Uso excessivo de álcool ou tabaco, 
  • Alimentação rica em gordura, enlatados e embutidos, 
  • Dietas pobres em cálcio, frutas e vegetais, 
  • Histórico familiar de câncer colorretal, colite ou pólipos 
  • Doenças como, colite, síndrome de Gardner, síndrome de Lynch, síndrome de Peutz-Jeghers e polipose adenomatosa familiar. 

A idade também é um fator que aumenta a predisposição do surgimento de pólipos, por isso a polipectomia pode ser indicado acima de 45 anos, caso o paciente apresente pólipos. É sempre essencial conversar com o seu médico para descobrir qual é o protocolo terapêutico adequado para você. 

No Núcleo de Endoscopia Digestiva, a polipectomia ocorre durante a endoscopia e colonoscopia e o médico envia os pólipos coletados para análise com médico patologista, a fim de se certificar se os pólipos são benignos ou malignos e proceder com o protocolo terapêutico adequado. 

Diretor Técnico: Dr. Luiz Fernando Abrahão
CRMMG: 18674
RQE: 10553

Rolar para cima